Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
 

Durante as aulas de surfe que ministra na região do Molhes da Barra, o surfista e capoeirista Luís Everton Rodrigues, o Crespo, ajudou um menino de 12 anos de idade que estava sendo arrastado pelo mar. A situação aconteceu na tarde da última segunda-feira, 10.

Rodrigues relata que estava com quatro alunos no mar e mais outras duas crianças se preparando. “Sempre estou dando uma olhada para os lados, para ver se não acontece nada e também a questão de corrente, pois ali é meu ‘habitat’ né e vi que tinha um menino indo em direção à corrente”, comenta.

A criança estava próximo do local em que há o que sobrou do barco Coríntia-Tramandaí, naufragado em 1996, e perto de uma área em que existe um buraco com cerca de dois metros de profundidade. “Pedi para que ele saísse dali. Viu eu chamando a atenção, mas não conseguia sair pois a corrente ia puxando ele para o buraco”, relata.

Crespo se aproximou do menino e disse para que ele tivesse calma. O surfista segurou na mão da criança e o ajudou a vencer a corrente, conseguindo levá-lo até a faixa de areia do Molhes da Barra.

No dia em que aconteceu a situação, havia bandeiras de sinalização vermelha na orla. A cor indica que o mar está perigoso e não se deve entrar na água pelo alto risco de afogamento, segundo o Corpo de Bombeiros Militar. “Falei para o menino que era perigoso estar ali e ele respondeu que não tinha prestado atenção na bandeira”, diz.

Crespo acrescenta que irá confeccionar uma placa para afixar no canto do Molhes advertindo os banhistas dos riscos da região, em especial sobre a corrente marítima e o buraco que existe ali.

Cuidados

Casos de afogamento já mataram nove pessoas na região da Amurel desde o início de 2020. As ocorrências mais recentes foram em Jaguaruna e Imbituba, este envolvendo um adolescente que seria morador de Laguna. Das mortes, apenas uma foi em área que tinha guarda-vidas.

A orientação do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) é que as pessoas procurem se banhar perto de onde há guarda-vidas e só entre no mar se a condição for favorável. Crianças devem estar acompanhadas dos pais.

“Importante frisar que a segurança é responsabilidade individual do adulto; e das crianças é do pai ou do responsável”, afirma o capitão Guilherme Viríssimo da Serra Costa, chefe de Comunicação Social do Batalhão de Bombeiros Militares de Tubarão. Em Laguna, há guarda-vidas no Mar Grosso, Gi, Praia do Sol, Itapirubá, Farol de Santa Marta e Galheta

O banhista também deve se atentar para as cores das bandeiras que ficam nos postos guarda-vidas e também são fixadas na faixa de areia para sinalizar condições do tempo e do mar:

  • Verde: neste ponto, as condições para banho são boas e o risco de incidentes é mínimo;
  • Amarela: diz que o local possui fatores de risco ao banhista, como ondas mais fortes, correntes e outras condições que podem ocasionar acidentes;
  • Vermelha: sinaliza local onde não é adequado para banho, possuindo alto risco de afogamentos;
  • Preta: indica que naquela área não há um posto de guarda-vidas permanente, portanto, não possui um profissional no local e não é indicado para o banho;
  • Roxa: presença de águas-vivas no mar. Reque atenção.