Eleito pelo PSL em 2018, Felipe Estevão adotou uma posição de oposição ao governo estadual que é do mesmo partido. Os primeiros discursos do deputado estadual na tribuna da Assembleia Legislativa (Alesc) neste ano têm sido marcados por críticas à administração de Carlos Moisés e sua equipe.

Na abertura dos trabalhos legislativos em 5 de fevereiro, o parlamentar não poupou críticas à morosidade do Estado.”Faz um ano que protocolei o pedido para uma simples roçada às margens SC-436, entre Laguna e a BR-101. Até agora, nada. Vou trazer um bolo aqui dia 20 para ‘comemorar’ este descaso”, disse Estevão. A afirmação foi endossada pela colega de partido Ana Caroline Campagnolo, que citou outros requerimentos do gênero.

O pesselista eleito pela região da Amurel seguiu afirmando que a equipe do governo não era técnica. “No governo federal pode se dizer que tem uma equipe técnica; em Santa Catarina, amadora”, disparou. “A tecnicidade que foi um compromisso nós estamos aguardando ela. Já tivemos um secretário afastado e temos aqui uma lista de reclamações contra os demais”, acrescentou o líder do PSL na Alesc, deputado Sargento Lima, em aparte a Estevão.

A crítica foi estendida à sessão de terça-feira, 11, quando Estevão, que é presidente de Comissão de Pesca e Aquicultura da Alesc, falou sobre o Porto de Laguna, estadualizado em setembro. “Assim que o governo assumiu [o porto] colocou um gestor e eu fui perguntar de onde ele veio […] e questionando aos secretários qual o critério, [me disseram] ‘ele veio de um banco, mas é muito gente boa'”, relatou o parlamentar, que lamentou a não escolha de um nome técnico para a gestão.

Estevão disse ainda que na primeira tentativa de descarregamento de carga de uma traineira, o serviço foi negado pelo fato do porto não trabalhar nos fins de semana.

Para ilustrar o antes e depois do porto, o parlamentar usou uma foto da movimentação na época em que a estrutura era federal e uma outra para dizer que o movimento havia caído. A segunda imagem feita por Elvis Palma é de fevereiro de 2017. Estevão disse que apenas como ilustração. O parlamentar requereu informações à SCPar sobre as intenções para com a estrutura.

Distanciamento notável

A relação de Estevão e Moisés está estremecida ao menos desde agosto do ano anterior. Na reabertura da Casa de Anita, em Laguna, o deputado não foi mencionado no discurso do chefe do Executivo que chegou a destacar a presença de Ada de Luca (MDB). Dias depois, Estevão divulgou uma foto ao lado do governador na Casa d’Agrônomica para apaziguar os boatos de afastamento.

No entanto, a saída do presidente Jair Bolsonaro do PSL para criar o partido Aliança pelo Brasil, a posição de independência de Moisés em relação ao governo federal e a busca por apoio de parlamentares de outras siglas, acabaram distanciando o grupo de parlamentares “bolsonaristas” do governador. Entre eles, está Estevão.

O parlamentar eleito pela Amurel é um dos que demonstra lealdade a Bolsonaro. Recentemente, Estevão se tornou um dos parlamentares catarinenses que desafiou publicamente Moisés a reduzir a ‘zero’ o ICMS sobre o combustível. O presidente da República lançou o desafio aos governadores como resposta às críticas de que as reduções feitas pelo governo no preço dos combustíveis não têm surtido efeito pelo alto valor cobrado pelos estados.

Felipe Estevão e Carlos Moisés, na cerimônia de delegação do Porto de Laguna: relação estremecida. Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Contraponto do governo do Estado

A reportagem do Portal cobrou, via e-mail, posicionamento do governo do Estado diante das críticas de Felipe Estevão. A Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), em nota, respondeu os questionamentos.

Sobre a conservação da rodovia A-101-F (antiga SC-436), na entrada de Laguna, o governo diz que a pista receberá manutenção. “A Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade informa que trabalhos de manutenção da rodovia SC-436, como roçada e limpeza no sistema de drenagem, estão previstos no cronograma da Coordenadoria Regional Sul da pasta para este ano”, adianta a nota.

No texto, o Estado afirma ter escolhido perfis técnicos, multidisciplinares e servidores. “Ao formar a equipe de governo, foram priorizados perfis técnicos, multidisciplinares e servidores de carreira. Sendo assim, há funcionários estaduais e técnicos ocupando os principais cargos de gestão, e compondo os quadros das pastas. Além disso, foi criado um modelo de gestão com 269 indicadores de qualidade, para nortear os resultados a serem alcançados pelo Governo do Estado, melhorando os serviços oferecidos à população”, informa.

Questionada sobre a qualificação do administrador do Porto, a Secom rebateu: “O profissional escolhido possui ampla qualificação e experiência em gestão de negócios, com graduação e especializações na área, tendo plena capacidade de gerir o Porto. Complementando a equipe, há o coordenador operacional que é técnico, formado em engenharia de pesca e amplamente reconhecido no mercado. Além disso, a Diretoria Executiva da SCPar também atua na gestão estratégica do negócio e sua equipe técnica presta apoio administrativo e operacional sempre que necessário”.

A assessoria informou, ainda, que “há uma série de ações de melhorias para o Porto, algumas em andamento e outras planejadas, que visam a modernização da atual estrutura e que serão anunciadas já nos próximos dias”. Existe a possibilidade de Moisés estar em Laguna na segunda-feira, 17, mas a agenda está em estudos.