Lance de Palmeiras x Água Verde – Foto: Divulgação/LTF
 

Paralisada há uma semana, a primeira divisão do Campeonato Regional organizado pela Liga Tubaronense de Futebol (LTF) passa por um capítulo decisivo na quinta-feira, 14. Está na pauta de julgamentos do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Catarinense de Futebol (FCF) o recurso da equipe do Itapuã, de Tubarão, contra o Água Verde, de Pescaria Brava.

A equipe tubaronense entrou na justiça para questionar a decisão da Comissão Disciplinar da LTF, que não puniu o time de Barreiros por uma escalação irregular. Segundo o presidente do Itapuã, Fábio Daniel, na partida de 13 de outubro em que ambos os clubes se enfrentaram, Thiago Andrade Amado, que deveria cumprir suspensão por ter levado três cartões, entrou em campo pela equipe alviverde.

A comissão da liga julgou que o pedido do time de Tubarão era “intempestivo”, pois foi apresentado 48 horas após o término da partida e manteve a pontuação ao Água Verde. Ao Portal Agora Laguna, o técnico Sidnei Cunha, mais conhecido como Bicudo, da equipe alviverde de Pescaria Brava, se mostrou tranquilo e pontuou que houve falha na comunicação sobre quais jogadores estavam advertidos.

O treinador afirma que chegou a pedir ao presidente da LTF, Welinton Brasil, para que fosse encaminhado ao time a relação de atletas que não poderiam entrar em campo por causa de cartões, mas diz que não houve resposta.

“A gente não sabia que tinha jogador com três cartões e botamos para o jogo. Eu acho que o Água Verde não errou, porque antes a súmula dos jogos era entregue após o jogo, e hoje ela vai tudo para o site da liga na internet, e o pessoal da equipe quase não usa esse negócio de internet”, justifica.

Segundo Cunha, a equipe está esperançosa para que o TJD confirme a decisão da LTF. “Não somos muito culpados. A liga sabe que não fomos errados, e nós ganhamos [a questão] aqui. Eles recorreram e agora é aguardar o resultado. Estamos confiantes”, diz.

Presidente se posiciona

Citado pelo técnico, Weliton Brasil foi procurado pela reportagem do Portal nesta quarta-feira, 13, e confirmou a versão de que o time de Pescaria Brava pediu a ele o controle dos cartões. O presidente da LTF, porém, acrescenta que orientou Cunha a buscar no site da entidade a relação dos atletas advertidos.

A liga publica ao final dos jogos realizados a súmula digitalizadas das partidas com a descrição de tudo o que aconteceu durante os 90 minutos. “O controle de cartões aplicados nas equipes é de inteira responsabilidade delas. Elas tem que controlar quem recebeu cartão ou não, e não a liga. A LTF tem a obrigação de disponibilizar no site, e nós fizemos”, diz Brasil.

Para o presidente da LTF, mesmo que a situação tenha paralisado o regional, “foi bom ter acontecido isso”, pois, “agora as equipes estão prestando mais atenção nos cartões”. Durante a final da Copa Master, no último domingo, ele havia adiantado ao Portal que a continuidade da divisão principal – que dá vaga à Copa Sul – vai depender do resultado do julgamento e se ambas as equipes vão recorrer dessa decisão, ou não.

O que pode acontecer com o Água Verde

Se for punido, pela escalação irregular o time bravense perderia três pontos. Como o Água Verde venceu o jogo de 13 de outubro por 4 a 1, a punição é dobrada.

Uma eventual sanção da justiça desportiva desfavorável à equipe de Pescaria Brava faria com que o time que tem 10 pontos, ficasse com apenas quatro, e caísse para a quinta posição na classificação. Essa queda permitiria que o Itapuã passasse à próxima fase.

Independente de qual for o resultado do julgamento dos auditores do TJD, tanto Água Verde, como Itupuã, poderão recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que ficaria responsável, neste caso, por dar o veredito final.