Foto: Arquivo da Família Bicca/Cedida gentilmente
 

Educadores que atuam nas unidades escolares públicas e particulares de Laguna poderão receber brevemente a Medalha do Mérito Educacional Professora Hilda Soares Bicca, criada pelo Poder Legislativo para reconhecer o trabalho exercido por estes profissionais dentro e fora de sala de aula.

A ideia foi apresentada pelo vereador Peterson Crippa (PP) em meio às comemorações do Dia do Professor em 15 de outubro. “Dentro da realidade de todo um trabalho que o professor faz no município para a educação de nossos filhos e para a nossa própria, não tem nada mais estimulador do que dar uma honraria para os educadores que forem destaque no ano anterior”, defende o edil.

Pelo texto do projeto, que foi aprovado no dia 31 de outubro e segue para sanção do prefeito Mauro Candemil (MDB), podem ser indicados à comenda: professores, gestores de educação (diretores, assessores de direção, coordenadores, secretários de Educação), supervisores pedagógicos e orientadores educacionais.

Para a professora de História, Andréa Matos Pereira, que há mais de 30 anos leciona nas escolas de Laguna, todas as homenagens à classe são válidas, mas ela faz uma ressalva: “É uma boa iniciativa, mas o prêmio deve ser antes de tudo, justo”. “Penso que, com relação a esta lei, há falta de critérios que definam o que será considerado para a premiação do profissional. Isso pode levar a premiação a acontecer de forma politiqueira, muitas vezes injusta”, comenta.

Na visão da educadora, seria preciso discriminar em lei as formas com que os nomes vão ser avaliados pela comissão que será criada. Uma alternativa seria considerar “resultados de indicadores externos (Ideb, Enem, outros) ou intervenções com e nas comunidades, transformação de realidades, etc”, diz Andréa.

O texto prevê que a comissão avaliativa será formada por autoridades que tenham relação com a área educacional: secretária de Educação e Esportes de Laguna e diretores das unidades escolares públicas e privadas da cidade.

Sobre a falta de critérios estabelecidos na matéria, Crippa aponta que a definição dos quesitos será feita pela prefeitura. A secretária de Educação e Esportes, Janaína Preve, também considera justa a homenagem aos professores e afirma que aguarda apenas a homologação da lei para definir como funcionará a comissão de concessão da honraria e a data da primeira entrega da medalha.

“Acredito que será bem válida e muito bem aceita pelos professores. Eles merecem um reconhecimento. Esse ano fizemos uma homenagem, no Dia do Professor a todos e aos que se aposentaram”, detalha a gestora.

Professora Hilda Bicca, quando diretora do Jerônimo Coelho, em uma das cerimônias de formatura da extinta escola. – Foto: Arquivo Família Bicca/Cedido gentilmente

Quem foi Hilda Bicca

A comenda criada pela Câmara homenageia a professora Hilda Soares Bicca, que morreu aos 90 anos em fevereiro deste ano, em decorrência de diabetes e que dedicou boa parte de sua vida à educação e também às causas da terra natal. Hilda faria 91 anos em dezembro deste ano.

“Colocamos o nome por toda a representatividade que ela teve no nosso município como professora, mulher, liderança, além de política. É uma pessoa que é unanimidade entre as gerações de agora”, justifica Crippa.

Dona Hilda, como era mais conhecida, era filha Faustina Machado e de Olavo Toniatti Soares. Foi casada com Humberto Bicca (in memoriam), com quem teve os filhos Jefferson, Margarete e Junior.

Foi aluna das séries iniciais no extinto Grupo Escolar Jerônimo Coelho e completou os estudos no antigo Ginásio Lagunense (atual Ceal). O ensino superior veio através da Fundação Educacional do Sul Catarinense (hoje, Unisul) e da Escola Superior de Ciências e Pedagogia.

Aos 18 anos entrou pela primeira vez na sala de aula como professora e dali em diante dedicou boa parte de sua vida à educação. O começo da carreira foi, justamente, na escola em que recebeu seus primeiros ensinamentos. Educou alunos de primeiro a quarto anos do ensino fundamento, lecionando também as disciplinas de Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política do Brasil – hoje, retiradas do currículo escolar.

Por duas décadas atuou como diretora no Jerônimo Coelho e por alguns períodos no colégio Álvaro Catão, em Imbituba. Na vida pública, foi voz para várias reivindicações da terra natal, chegou a ser presidente da Associação da Mulher Lagunense e no ano de 2000, foi eleita vice-prefeita pelo antigo Partido Popular Socialista (PPS, hoje Cidadania) compondo chapa com Adílcio Cadorin (à época no PDT), ocupando o cargo até 2004.

“Falando como cidadão, a professora Hilda Soares Bicca deixou um legado na educação e cultura de nossa cidade. Como filho e também aluno, tenho muita gratidão, respeito e saudades”, comenta Jefferson Bicca.

A visão é compartilha pela doutora Maíra Assunção Bicca, neta, que compara a importância da avó em sua formação ao que Anita Garibaldi representa para a cidade de Laguna. “Ela é um símbolo do que uma mulher de determinação, coragem, audácia, perspicácia, e inteligência pode ser. Carregar os genes e o legado dela é uma missão de vida, e que eu possa inspirar tanto quanto ela o fez. Esse projeto permitiu deixar viva a memória e o trabalho da minha digníssima avó na área da educação por outras muitas gerações. Um orgulho profundo de ser neta dela, orgulho profundo de ser lagunense, orgulho profundo de iniciativas como essa”, pontua Maíra.