Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna
 

A emoção reinou do início ao fim no gramado do Estádio Silvino João Guerreiro, em Barranceira, na final da 5ª Copa Master da Liga Tubaronense de Futebol (LTF). Com a disputa de Santa Maria e Coroas do Sul, que resultou em vitória, de virada, por 3 a 2, e título para os donos da casa – a equipe tinha a vantagem por ter vencido a primeira partida.

O Santa Maria começou o jogo abrindo o placar aos 22 do primeiro tempo com Fonseca e manteve o domínio do jogo na etapa inicial. Equipe tentou ampliar o resultado, mas conseguiu apenas duas bolas na trave seguidas.

A reação do Coroas do Sul começou nos minutos iniciais da segunda etapa, aos 14, com Rud conseguindo o empate por 1 a 1, e aumentando a posse de bola em relação aos donos da casa. Os tubaronenses ameaçaram seguidamente o gol de Barranceira e chegaram a marcar o segundo, mas o bandeira da partida marcou impedimento.

Aos 27, do segundo tempo, o Santa Maria virou o jogo com Rogério. Os jogadores do Coroas do Sul se revoltaram e partiram para cima do árbitro Claudir Herdt, que expulsou três atletas da equipe.

Na sequência, após o reinício do jogo que ficou parado por alguns minutos, o time de Tubarão empatou em 2 a 2 a partida com Vetinho, mas cedeu a vitória para o Santa Maria com gol de Fonseca, que marcou o terceiro da equipe de Barranceira no fim da partida.

Clima tenso

Depois do segundo gol do Santa Maria, o goleiro do Coroas do Sul se revoltou com a arbitragem da partida e ao tirar satisfação com o árbitro, no meio de um empurra-empurra registrado, o juiz caiu no chão. O jogo ficou paralisado por cerca de dez minutos.

Alfredo Blasius, goleiro, foi expulso, assim como Rud e Alex Bandeirante que saíram em defesa do companheiro de time e acabaram suspensos. O massagista da equipe tubaronense também foi suspenso por ter ofendido Herdt.

“A punição sempre vem para o jogador, o árbitro vem faz o que faz e não acontece nada. Esse é o problema do futebol”, dispara Blasius. A diretoria pediu verbalmente, durante a entrega dos troféus, que o juiz da partida fosse suspenso. A LTF não quis comentar.

No primeiro tempo, Rudinei Amâncio, do Coroas, reclamou da arbitragem e levou cartão amarelo, e Everaldo Batista, do Santa Maria, por ter tirado a camisa durante a comemoração de gol no fim da partida.

Competição é avaliada positivamente

O Santa Maria confirmou o favoritismo que o levou à grande final, tendo apenas uma derrota e um empate no retrospecto da fase de grupos. O elenco do clube foi montado em cima do plantel que venceu a edição de 2018, defendendo a camisa do América de Bentos.

Para o treinador do time campeão, Gedeval Ernesto, o popular ‘Mazo’, a partida jogada em casa foi muito boa. “Lutamos o campeonato inteiro, tivemos dificuldades, mas graças a Deus conquistamos essa grande vitória, e pudemos homenagear o saudoso Bino que sempre apoiou o time”, avalia. “O time se concentrou o tempo inteiro, tem as polêmicas da arbitragem, mas tudo normal”, completa.

O Coroas se classificou nos pênaltis contra o Palmeiras, também de Tubarão, e chegou à final, surpreendendo a todos, e querendo erguer a taça. Apesar das reclamações quanto à arbitragem, Blasius concorda que foi um bom jogo. “A equipe, mesmo bem desfalcada, veio aqui para o segundo jogo disposta a ganhar, e com três jogadores a menos, depois da confusão, suportou de maneira que honrou a camisa do Coroas até o fim da partida”, comenta.

Mesmo diante da situação registrada em Barranceira, o campeonato é visto pela LTF como sucesso, e, conforme o presidente Weliton Brasil Ribeiro, já há equipes interessadas em participar do campeonato de 2020. “É uma competição que já está no calendário da LTF, e esse ano foi disputada por seis equipes de diferentes regiões, e a gente teve bom público, que começou a vir aos jogos”, pontua Ribeiro.

Prêmios individuais

Além da entrega de troféus ao campeão e ao vice, a LTF entregou taças ao artilheiro da partida e ao goleiro menos vazado. Cau, do Santa Maria, foi eleito como o arqueiro que menos sofreu gols no campeonato, e Fabricio Alves, do Palmeiras, recebeu o troféu por ter sido o jogador que mais balançou as redes: seis vezes.

Da edição 2019, participaram: Santa Maria (Barranceira, campeão), Coroas do Sul (Tubarão), Caeté/Amigos do Boto (Tubarão), Palmeiras de Humaitá (Tubarão), Braço do Norte (Braço do Norte), e Oriente (Tubarão).