Editoria de Arte/Agora Laguna
 

As nove unidades escolares de responsabilidade do Estado em Laguna terão novos diretores a partir do ano letivo de 2020. O processo de escolha dos gestores foi iniciado no último dia 23 e concluído na noite da última quinta-feira, 31.

“Tudo transcorreu dentro da normalidade, respeitando-se toda a legislação que dispõe sobre a gestão escolar da educação básica e profissional da Rede Estadual de Ensino”, comenta a supervisora de gestão escolar, Maisa Guedes Anastasiadis, que coordenou o processo eleitoral nas escolas da gerência regional de Laguna.

Ainda de acordo com a professora, os eleitos vão participar de processo de formação continuada oferecido pela Secretaria de Estado da Educação para fornecer conhecimento aos gestores. “O princípio da gestão democrática que fundamenta a eleição de diretores, agora, fará parte do dia-a-dia do gestor, que inciará sua função em janeiro de 2020, concluindo em dezembro de 2023”, finaliza.

Portal Agora Laguna procurou os novos gestores para saber mais quem eles são e quais as metas e desafios que vão enfrentar em seus colégios.

Adriana Araújo Leal

Reeleita para a gestão da escola Gregório Manoel de Bem (Ribeirão Pequeno)

Com formação em Pedagogia e quase 30 anos de dedicação à rede estadual de ensino, a professora Adriana Araújo Leal obteve 94% e se credenciou para mais um período à frente da escola Gregório Manoel de Bem, que atende alunos no distrito de Ribeirão Pequeno, interior da cidade, onde é diretora há quatro anos.

“O resultado da eleição é fruto do trabalho desenvolvido nos últimos anos. Com 94% de aprovação dos pais, alunos, funcionários e professores. Numa escola compartilhada e democrática a escuta e participação da comunidade escolar é imprescindível para todas as tomadas de decisões”, avalia Adriana, que já foi tutora da Udesc.

Entre os principais desafios e intenções para a escola, a gestora eleita cita a implantação do plano de flexibilização curricular para o Novo Ensino Médio, proposto pelo governo brasileiro, e as atualizações do ensino fundamento e médio. As atualizações do projeto político-pedagógico escolar e do acervo bibliográfico, além do material pedagógico, está no radar da Gregório Manoel de Bem.

Nos próximos três anos, a gestora tem a intenção de fortalecer a parceria com as famílias afim de aumentar a participação e integração/interação familiar junto à escola e assim também reduzir os índices de evasão e reprovação, além da continuidade de projetos e parcerias que já são realizadas – por exemplo com a Epagri – e renovação do ambiente escolar.

Adriana Thomaz

Diretora interina eleita para a gestão da escola Almirante Lamego (Centro, antigo Ceal)

Na eleição da última sexta-feira, 25, quase 600 integrantes da comunidade escolar votaram. 397 alunos optaram por manter a atual gestora, Adriana Thomaz, no cargo. Os demais candidato, Patrícia Brum e Antônio Alcântara tiveram 129 e 54 votos, respectivamente.

Formada em História pela Unisul (1997), pós-graduada em História Social pela Fucap (2009), além de ter capacitação para gestores escolares (em programa promovido pela SED em 2005), Adriana assumiu a direção do colégio há quatro meses após a saída do antigo gestor, Danilo Prudêncio e ficará mais três anos no cargo.

“A eleição é o resultado de um trabalho que está sendo construído com a equipe gestora, estamos dando um passo de cada vez, mas sempre pensando no bem de toda comunidade escolar”, comenta a diretora eleita.

Sobre as metas para a gestão, adianta: “Enfrentar os obstáculos enfrentados na educação, incentivar minha equipe de profissionais para melhoria na qualidade de educação e batalhar para por todas as minhas metas em prática para o bem de toda comunidade escolar”.

Ana Cristina Oliveira Souza

Eleita para a gestão da escola Coronel José Maurício dos Santos (Caputera)

A escola que concentra os alunos da região Norte de Laguna terá uma nova diretora a partir de 2020. A maior parte da comunidade escolar do José Maurício escolheu a professora Ana Cristina Souza, de 36 anos, para guiar os rumos do colégio nos próximos três anos.

“Foi uma eleição bem competitiva, as duas candidatas são competentes, profissionais e conhecem bem a rotina da escola, mas graças ao apoio da comunidade escolar consegui conquistar o maior número de votos”, agradece. Para a diretora eleita, a gestão será norteada pelo aperfeiçoamento do processo ensino-aprendizagem, nas melhorias no espaço físico da escola e, na busca pela maior participação da família na vida escolar.

Essa vai ser a primeira experiência da professora de Ciências Biológicas (especializada na Educação Ambiental e Gestão Escolar) à frente da direção de uma escola. Ela atua desde 2008 como assistente técnica-pedagógica na escola de Caputera. “Trabalho diretamente com alunos e professores e, acredito que isso vai ajudar muito nessa nova fase dentro da minha profissão”, pontua.

Iliomar Bitencourt de Bem

Reeleita para a gestão da escola Saul Ulysséa (Cabeçuda)

“Foram quatro anos de muita luta, vitórias, derrotas e aprendizagens. Estou preparado para mais quatro anos”, diz, confiante, o gestor reeleito. Professor de Língua Portuguesa e Inglesa, Iliomar tem 47 anos de idade e é morador do bairro onde fica a escola Saul Ulysséa. “Fui novamente eleito com 83% dos votantes presentes entre pais, alunos e professores. Gratidão absoluta pelo reconhecimento de todos que acreditam numa educação de qualidade”, comemora.

Segundo ele, para o novo período serão grandes os desafios. Entre as metas, pretende obter meios de melhor resultados do processo de ensino e aprendizagem, desenvolvendo projetos motivacionais e formação continuada para os professores, além de reorganizar os setores internos do colégio.

O espaço físico está no radar de Iliomar: “Teremos como meta, o fechamento da quadra e a compra do terreno lateral para o incentivo às práticas de esporte e construção do estacionamento”. Algumas das pautas encampadas são reivindicações antigas da comunidade escolar. “Com trabalho, força e muita fé chegaremos lá. Precisamos do apoio de todos”, finaliza.

Jaison John Werner

Diretor interino eleito para a gestão da escola Renato Ramos (Portinho)

Com 40 anos de idade, o professor de Matemática, Jaison John Werner, já vinha ocupando a função de diretor há alguns meses, como interino. Na eleição teve sua permanência no cargo carimbada com 98,75% da preferência da comunidade escolar do Renato Ramos – apenas dois votos não.

Formado em Matemática, pós-graduado em metodologia nesta área e com mestrado em Ciências Exatas, desde fevereiro de 2006 vem atuando como assistente de educação na escola. “Avalio de forma muito positiva, foram 98,75% dos votos ‘sim’ e apenas dois votos ‘Não’. Foi muito gratificante receber a comunidade escolar para dirigir na nova gestão 2020/2023. Tenho certeza, juntamente com todos eles (pais, alunos e professores), que daremos continuidade em uma gestão compartilhada tornando ainda mais a família Renato Ramos da Silva, como um estabelecimento de qualidade”, comemora o diretor eleito.

Para Werner, os desafios à frente da gestão são vários, mas há três que ele irá direcionar atenção especial. “Fazer da escola um local onde os alunos sintam prazer em estudar,  aumentar as taxas do Ideb, Provinha Brasil, a prova Ana através de reforços escolares, e lutar pela ampliação da unidade escolar, pois a demanda de alunos é superior ao prédio existente”.

Joel dos Reis

Eleito para a gestão da escola Comendador Rocha (Progresso)

Para o educador, que vem de uma tradicional família carnavalesca de Laguna, o processo eleitoral foi tranquilo com 77% da comunidade escolar optando pelo seu nome para gerir os destinos do Comendador Rocha, que neste ano completou 110 anos de existência. A outra candidata.

“Serão 4 anos de muita luta e superação dos desafios propostos no plano de gestão escolar, onde destaco a volta da vigilância humana e a busca de parcerias para o desenvolvimento do processo pedagógico garantindo assim o pleno desenvolvimento do educando. O título do plano a ser executado a partir do dia 02 de janeiro de 2020 é ‘Escola: espaço democrático na busca de saberes'”, adianta Reis.

Professor de Educação Física com 53 anos, sendo 33 dedicados à educação, o novo gestor já ocupou o cargo de diretor do Comendador Rocha entre 2003 e 2006 e há cinco anos é assistente de direção. Além da escola, é presidente do Grupo Teatral Terra e membro da Irmandade de Santo Antônio e Conselho Comunitário do Bairro Progresso.

Kathya Silveira Sirydakis

Diretora interina eleita para a gestão da escola Santa Marta (Farol)

“Avalio como um resultado positivo, diante do bom trabalho que já vem sendo desenvolvido na escola, desde o mês de junho onde assumi a direção como pro tempore, em decorrência do afastamento do atual diretor para licença prêmio”, comenta a gestora eleita.

Com 19 anos de carreira no magistério, sendo professora de Educação Física, Kathya, que assume uma escola considerada rural por estar afastada do núcleo urbano do município, tem pela frente como metas a melhoria e disponibilização do sinal de internet para uso escolar e aquisição de novos equipamentos tecnológicos.

Além de reduzir o índice de evasão escolar, implantar o currículo do Novo Ensino Médio, fortalecer o protagonismo juvenil, e a integração entre escola, pais e alunos. Nessa união, a diretora afirma que pretende desenvolver projetos que podem contribuir com o fomento do turismo na região da ilha.

Leonardo Santana de Limas

Reeleito para a gestão do Ceja de Laguna (Campo de Fora)

“Resultado muito positivo, pois tivemos um bom percentual de participação em todas as turmas nas diversas comunidades atendidas pelo Ceja nos municípios de Pescaria Brava, Imaruí e Laguna”, avalia Limas, que ficará mais três anos à frente da unidade, criada para ensinar jovens e adultos na regional de Laguna.

Leonardo Limas, 55, é bacharel com licenciatura em História (Unisul), pós-graduado em História Social (Fucap) e formado em gestão escolar (Udesc). Antes de assumir a gestão do Ceja, em 2015, ocupou as funções de secretário na mesma unidade (2003 a 2006) e em 2006, por concurso público, se tornou assistente técnico-pedagógico.

“Fortalecer a prática pedagógica dos professores com a metodologia da EJA, garantindo uma educação de qualidade com uma formação dos nossos alunos que vá de encontro a necessidade social”, comenta ao falar sobre os desafios à frente do Ceja. A mobilização da comunidade para diminuir a evasão escolar e a ampliação do atendimento para outras localidades com o sistema de ensino de jovens e adultos está no radar da gestão.

Lilian dos Reis Santos e Silva

Reeleita para a gestão da escola Ana Gondin (Magalhães)

Os estudantes da escola Ana Gondin, que passa por processo de finalização de seu novo prédio, vão ter pelos próximos três anos a continuidade da gestão da professora Lilian dos Reis. Formada em Pedagogia com especialização na supervisão escolar, ela ingressou no colégio em 1990 e já foi assessora de direção por duas gestões, antes de se candidatar e ser eleita em 2016 para o cargo.

“Como estou desde o início do projeto da construção da escola nova e acompanhei passo a passo todo processo, resolvi novamente me candidatar. Obtive 305 votos e a minha concorrente 36 votos. Fico muito feliz, pois a eleição ocorreu de forma tranquila, onde a ética e o respeito foram preponderantes. Acredito que tanto eu, como minha concorrente, demos exemplos aos nossos alunos e comunidade escolar de como podemos lutar pelos mesmos direitos sem haver divergências, não de opiniões, mas daquelas que venham interferir num processo democrático pelo qual tanto almejamos”, diz a gestora reeleita.

Para Lilian, um dos principais desafios será a mudança para o novo prédio e aumentar o Ideb da escola que atende a comunidade do Magalhães e entorno, além do fortalecimento da identidade institucional.