Evandro Flora durante entrevista ao Portal Agora Laguna, em fevereiro. – Foto: Elvis Palma/Agora Laguna/Arquivo
 

Acusado por uma página de autoria desconhecida em redes sociais de ter agredido a namorada, o secretário de Turismo e Lazer de Laguna, Evandro Carneiro Flora, registrou boletim de ocorrência por calúnia e difamação, na noite deste sábado, 12. Em entrevista ao Portal Agora Laguna, o gestor disse ter sido vítima de divulgação de fake news.

A página, criada em 2014, ressurgiu no começo da tarde e a única publicação que existe – à exceção de fotos com logotipos – é a que acusa Flora, divulgada mais cedo ao meio-dia. No texto, que o menciona como “secretário de Cultura”, o gestor de Turismo e Lazer é apontado como autor de uma “covarde agressão à mulher e a criança, com requintes de crueldade, como a utilização de um ferro de passar roupas” no fato, que teria acontecido na “quarta-feira (8)” – sendo, que a última quarta-feira, foi dia 9.

Para dar veracidade a publicação, a página divulgou um boletim de ocorrência. O documento, no entanto, é de outubro de 2015, quando Flora ocupava o cargo de chefe de gabinete do ex-prefeito de Brusque, Roberto Pedro Prudência Neto (PSD). A função, inclusive, é citada no texto (entenda mais abaixo).

Em uma nota divulgada no fim da noite e que vem sendo compartilhada em grupos de aplicativos de mensagens, o secretário de Turismo e Lazer afirma que na data citada estava internado em um hospital de Tubarão, por diverticulite.

Flora esteve no meio de polêmica em 2015

Há quatro anos, quando fez parte do secretariado municipal de Brusque, na região do Vale do Itajaí, Flora se envolveu em uma polêmica que custou seu cargo na administração de Prudêncio Neto.

Segundo o portal Olhar do Vale, ele teria sido detido em um almoço durante o Festival Nacional do Marreco (Fenarreco), em 13 de outubro de 2015, após um desentendimento com um empresário conhecido na cidade, que teria sido causado por um boletim de ocorrência registrado pela ex-mulher do segundo envolvido.

Diante da repercussão, um dia depois do ocorrido, o atual secretário de Laguna pediu demissão do cargo que ocupava na prefeitura brusquense.

Contraponto

Em entrevista ao Portal, na noite deste sábado, Flora confirmou uma nota divulgada (leia no fim de texto) e disse já ter tomado as medidas judiciais. Sobre o fato de ter sido acusado de ter agredido uma ex-namorada e o filho, há quatro anos, ele se justificou: “Em 2015, quando eu era chefe de gabinete, eu tinha então 49 anos, hoje vou fazer 54. Eu tive uma namorada que tinha 24 só e eu terminei com ela três vezes. Em todas, ela tentou tirar a própria vida. Um dia terminei definitivamente […] e ela partiu pra cima de mim”.

Segundo o secretário, no dia seguinte a mulher registrou um boletim acusando-o de agressão. “Eu não bati nela. Tanto é que eu ganhei o processo, sendo extinto, porque não aconteceu realmente o que ela falou. Pelo contrário, eu que fui agredido”.

Leia a nota de Evandro Flora

Evandro Flora, Secretário Municipal de Turismo da Laguna, vem a público esclarecer e alertar a população e autoridades de que está sendo vítima de um Fake News que tenta denegrir sua imagem, onde consta que teria agredido uma mulher no dia 08 (quarta feira passada). Tal fato não é verdadeiro.

O boletim de ocorrência divulgado está criminosamente adulterado, além do que o comunicante não é Secretário de Cultura, desconhece a pessoa que fez a publicação, desconhece o apartamento de número 370 e desconhece a mulher que consta na foto do fake publicada. Além do mais, na data relatada no fake, o comunicante estava internado no Hospital Socimed, no quarto 08, vítima de uma diverticulite, onde ficou internado por dois dias.

Informa ainda que já está tomando medidas junto às autoridades policiais, onde foi feito registro de crime número 0657493/2019 e o BO número 00391.2019.0003812, além de uma representação criminal que está sendo ajuizado na Vara Criminal do Fórum de Laguna para iniciar investigação afim de apurar a responsabilidade criminal da pessoa que produziu este fake news objetivando difama-lo e denegrir sua imagem de homem público.

Finalmente, como forma de prevenir direitos e identificar eventuais responsabilidades de terceiros, encarece que o fake veiculado nas rede sociais, não seja compartilhado sob pena do responsável pelo compartilhamento também ser indiciado criminalmente, conforme prevê o Código Penal Brasileiro e a legislação pertinente.

Divulgação