Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna
 

Em evento realizado na noite desta quinta-feira, 26, no Iate Clube, o Partido Social Democrático (PSD) iniciou oficialmente as composições da sigla para a eleição municipal do próximo ano, com o ingresso de pelo menos dez pré-candidatos ao Legislativo. A cerimônia contou com a presença de cerca de 80 filiados e apoiadores do partido.

O ato de filiação foi acompanhado por lideranças estaduais do partido, como Júlio Garcia (deputado estadual e presidente do Legislativo) e Ricardo Guidi (deputado federal), além de representantes de outras siglas, como o deputado estadual Felipe Estevão, do PSL.

“O partido hoje em Laguna já ocupa espaços importantes, mas na nossa avaliação precisamos ir mais além. Queremos fortalecer o projeto criado anos atrás, trazer mais pessoas e ter candidaturas a prefeito e vereadores, e lutar [pelo espaço] com os os partidos que vemos na cidade”, destaca o atual presidente do PSD na cidade, Patrik Paulino. A visão de renovação é acompanhada pelo vice-prefeito de Laguna, Júlio Willemann. “Acredito que todos que vieram, são pessoas que entendem que isso é um viés de um grupo que quer uma política diferenciada”.

Segundo Paulino, a meta do partido é eleger ao menos três vereadores – atualmente, a legenda tem apenas uma cadeira na câmara municipal, ocupada por Adilson Paulino – e chegar à prefeitura. “O PSD tem se renovado a nível estadual e nos municípios. Os partidos têm que mudar, e aqui em Laguna nós estamos reformulando”, pontua o deputado estadual Júlio Garcia, que vê no próximo pleito a possibilidade maior participação política da sociedade, principalmente das mulheres que terão mais destaque na eleição com a nova legislação.

Alianças não são descartadas

Fontes ligadas ao PSD apontaram à reportagem que a presença de Felipe Estevão no local, era uma resposta à possibilidade de que uma coligação entre o partido e o PSL para a eleição de 2020 seja acertada. O parlamentar não confirmou aliança, mas afirmou ser a favor do diálogo com vários partidos. “Temos exercido diálogos com lideranças e vemos a possibilidade de montar grupo fortes. Para o futuro da nossa cidade não podemos estar segregados, estando sob uma só bandeira: o crescimento do município. Acho que o embate vai ser bem produtivo”, diz.

Questionado sobre alianças, o presidente municipal pessedista pontuou: “É importante conversar com partidos e com siglas que tenham ideias parecidas com as nossas. Somos um partido que não tem essa convicção de ser de esquerda ou de direita, usamos o bom de cada lado”. Segundo Paulino, a possibilidade de um união PSD-PSL se trata de “conversa de bastidor”.

Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna