Foto: Divulgação
 

Outra obra aguardada pela população de Laguna e, também, pelos turistas e veranistas que procuram a cidade na alta temporada, terá seu início autorizado. A implantação do emissário terrestre de esgotamento sanitário da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) será autorizada na quinta-feira, 19, com a assinatura da ordem de serviço pela companhia e o governo catarinense. A autorização acontece junto da minuta de convênio de delegação do porto de Laguna.

Segundo a companhia, o emissário é uma rede de rede de 2.718 metros de extensão e diâmetro de 315 mm, com tubos de polietileno, que vai transportar o esgoto da bacia A (que abrange os imóveis localizados na praia do Mar Grosso) para tratamento na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Vila Vitória. A Casan informou que a empresa Incosan Engenharia Ltda, vencedora do processo licitatório, fará em paralelo a substituição de duas bombas da estação elevatória A, instalação de novo gradeamento e providenciará a urbanização e paisagismo do local.

O esgotamento sanitário do Mar Grosso desde 1986 é lançado por meio de emissário submarino em alto mar. A estrutura será mantida como dispositivo reserva. “O novo emissário vai eliminar a possibilidade de ocorrência de obstruções, como a registrada no final de 2018 devido a uma ressaca do mar”, explica o engenheiro Fábio Krieger, diretor de Operação e Expansão da Casan. “Além de implantar a rede terrestre, a Casan já contratou uma empresa especializada que desobstruiu o emissário marítimo, deixando-o em perfeitas condições de uso e como alternativa”, completa.

Os recursos totais para a obra, de R$ 1,89 milhão, são oriundos da Caixa Econômica Federal (CEF), com contrapartida da Casan, e se referem à mão de obra e materiais. A previsão de 100 dias de obras, o empreendimento deverá ficar pronto até janeiro.