Foto: Israel Costa/Prefeitura de Imbituba
 

As comemorações do bicentenário de Anita Garibaldi serão realizadas em 2021, mas as ações que marcarão a data foram oficialmente iniciadas neste ano. O primeiro exemplar da Rosa de Anita, híbrido criado pelo botânico italiano Giulio Pantoli (1922-2018) em homenagem à heroína dos dois mundos, foi plantado na manhã desta quinta-feira, 29, em frente à prefeitura de Imbituba.

A cidade portuária faz parte do roteiro de municípios por onde a filha mais ilustre de Laguna passou em sua trajetória. Historicamente, foi ali que aconteceu o ‘batismo de fogo’ de Ana Maria de Jesus Ribeiro que deixara Laguna para seguir o revolucionário italiano Giuseppe Garibaldi.

“Foi um momento marcante pra nossa cidade, receber este símbolo de Anita Garibaldi e reverenciar sua memória e a história de Anita em Imbituba, no batismo de fogo, a batalha naval na Praia de Imbituba, ocorrida em 04 de novembro de 1839”, comemora o prefeito imbitubense Rosenvaldo da Silva Junior (PT).

A solenidade foi acompanhada pela Marinha, Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita), Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e pelas autoridades estrangeiras que vieram ao Brasil para as comemorações. “Muito importante recebermos a comitiva uruguaia e italiana, estreitando os laços culturais e históricos que nos unem”, complementa o chefe do Executivo.

Para a presidente da FCC, Ana Lúcia Coutinho, o momento “ratificou a importância de Anita Garibaldi para a cultura latino-americana e europeia”. Na sexta-feira, 30, a rosa será plantada em Tubarão, pela manhã, e em Laguna, à tarde.

Rosa será distribuída pelo estado

Os brotos da rosa foram trazidas da Itália, pelo Instituto Cultural Anita Garibaldi (Instituto CulturAnita), e plantadas em Laguna para procedimento de adaptação. O objetivo é clonar o híbrido para que seja feita a distribuição, em um processo que deve durar 18 meses.

“Vamos distribuir a Rosa de Anita para todo o estado e, com certeza, será um símbolo valioso”, salienta o historiador Adílcio Cadorin, autor da obra “A Guerreira das Repúblicas”, um dos principais incentivadores do bicentenário.