Foto: Ronaldo Amboni/Arquivo Pessoal
 

O boto-pescador conhecido como “Perebento” ou “Tapete”, devido à patologia da pele conhecida como lobomicose, morreu por afogamento. A informação é do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS/Udesc) e foi divulgada no começo da manhã desta segunda-feira, 12.

O animal foi encontrado sem vida em uma lagoa no bairro Roça Grande, entre as divisas de Laguna e Imbituba, na manhã de quinta-feira, 8. A necropsia durou nove horas, onde a equipe detectou sinais de afogamento como a causa principal da morte. “Na avaliação externa não havia indícios de interação com rede ou cordas. A lesão cutânea cobria cerca de 30% do corpo. Na avaliação interna, os órgãos estavam sadios, sem nenhuma indicação de lesão macroscópica”, detalha o veterinário Eduardo Macagnan.

Diversas amostras foram coletadas para concluir o diagnóstico e investigar melhor o caso. Os resultados devem sair em aproximadamente 60 dias. “Perebento”, segundo o PMP-BS/Udesc, era um macho adulto de 3,34 metros de comprimento e 450 quilogramas aproximados, pertencia à população de botos-pescadores de Laguna, porém não interagia com os pescadores.

Conforme os dados do projeto, este é o segundo caso de morte de boto-pescador residente do complexo lagunar e o nono exemplar da espécie desde o início do ano.

Como acionar o PMP

Caso algum animal marinho vivo ou morto seja encontrado, entre em contato com o projeto pelo telefone 0800-642-3341. O acionamento permite o deslocamento de uma equipe de veterinários e pesquisadores ao local para resgate dos espécimes.

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.