Editoria de Arte – Agora Laguna
 

O livro de crônicas ‘Laguna e Eu – História e Sentimento’ do radialista e advogado Eraldo Silveira, que faleceu em março deste ano, será lançada na próxima sexta-feira, 24, em Laguna, cidade onde aconteceram as principais narrativas da obra literária. As ilustrações são assinadas pelo artista Arthur Cook.

O título será o primeiro a ser lançado pelo programa Althoff – Juntos pela Educação, criado pela rede de supermercados Althoff, de Criciúma, para enaltecer o trabalho de autores locais dos municípios onde a empresa atua. Nas 146 páginas, Silveira registrou diversos acontecimentos e personagens da sociedade lagunense de outrora.

O lançamento de ‘Laguna e eu – História e Sentimento’, editado pela Insular, acontece dia 24, às 20h30, no Restaurante Caiçara, no Mar Grosso, com exemplar custando R$ 20,00, com renda revertida para instituição de caridade local.

Sobre o autor

Nascido em Laguna, Eraldo Silveira tinha 75 anos quando faleceu em Criciúma, onde residia, deixando os filhos Nalú, Fabrício (in memorian), Ilana, Juana Maria e Juliana Maria. E os netos Ana Sofia, Manoela, Ana Laura, Valentina, Arthur e Fabrício.

Segundo conta o jornalista Valmir Guedes Júnior, Silveira era irmão de Evilásio e João Carlos. O trio marcou época nos tempos de ouro do rádio de Laguna, com passagens entre as década de 50 e 70 pela Difusora e a extinta Garibaldi.

Silveira deixou Laguna na década de 1970, para cursar direito no Rio Grande do Sul, radicando-se depois na região carbonífera catarinense. Na terra natal auxiliou a edição d’O Camboim (jornal criado em 1972, aos moldes d’O Pasquim, do Rio de Janeiro) e do Semanário de Notícias, duas publicações jornalísticas que marcaram época na cidade.

Eraldo foi ainda funcionário da Câmara Municipal de Laguna nos anos 1960 e chegou a assumir por um tempo a cadeira de vereador, na ausência de outro nome conhecido do rádio, João Manoel Vicente. Amante da poesia, publicou junto da esposa Clélia Mara Fontanella, o livro ‘O Voo dos Pássaros’, em 1999.

Eraldo Silveira junto da esposa, Clélia Mara, em momento de descontração – Foto cedida pela família